Mestrado/Doutorado

M
ESTRADO:

MESTRADO EM EDUCAÇÃO

Concepções Culturais, Tecnológicas e Educacionais na Contemporaneidade

EMENTA:

Introdução à pesquisa e às concepções culturais, tecnológicas e educacionais do mundo atual, com ênfase em diferentes linguagens e tecnologias, como formas de mediar a construção do saber/conhecimento e as atuais expressões culturais. Novos paradigmas de compreensão das relações entre educação e cultura na sociedade da informação e comunicação. Implicações didático-pedagógicas do conceito de cibercultura e do respeito às diferenças.

BIBLIOGRAFIA:

BAUMAN, Zygmund. Globalização: as conseqüências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1999.
CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas híbridas. 4. ed. São Paulo: Edusp, 2003.
CAPRA, F. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Editora Cultrix, 2004.
CESNIK, F. S.; BELTRAME, P. A. Globalização da cultura. Barueri: Manole, 2005.
CUCHE, D. A noção de cultura nas ciências sociais. Bauru: Edusc, 1999.
GIDDENS, A. Mundo em descontrole: o que a globalização está fazendo de nós. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 2002.
HABERMAS, J. The theory of communicative action: reason and the rationalization of society. V. 1. London: Heinemann, 1984.
LARROSA, Jorge. Linguagem e educação depois de Babel. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.
LEMOS, A. Cibercultura, tecnología e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2007.
LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 2010.
MORAES, M. C. Educar na biología do amor e da solidariedade. Petrópilis (RJ): Vozes, 2003.
MORAES, M. C. O paradigma educacional emergente. Campinas (SP): Papirus, 2004.
MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2011.
SACRITÁN, J. G.; PÉREZ GÓMEZ, A. I. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: ArtMed, 1998.
SANTOS, B. de S. Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciencias revisitado. São Paulo: Cortez, 2006.
SFEZ, L. Crítica da comunicação. São Paulo: Loyola, 1994.
CARNEIRO, R. Informática na educação: representações sociais do cotidiano. São Paulo: Cortez, 2002.
PENTEADO, H. D. Pedagogia da comunicação: teorias práticas. São Paulo: Cortez, 1998.
BECK, U. et. al. (Org.). Modernização reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna. São Paulo: Unesp, 1997.
CASTELLS, Manuel. A era da informação: economia, sociedade e cultura. 10. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007.
CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. 2. ed. Lisboa: DIFEL, 2002.
BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 1992.
IMBERNÓN, Francisco (Org.). A educação no século XXI: os desafios do futuro imediato. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.
BELLONI, M. L. O que é mídia-educação. Campinas: Autores Associados, 2001.

Leitura Dirigida: O Hibridismo Tecnológico na Construção de Comunidades Virtuais de Aprendizagem

EMENTA:

A leitura dirigida tem o intuito de refletir sobre a construção de comunidades virtuais de aprendizagem na perspectiva do hibridismo tecnológico digital, a fim de compreender os aspectos pedagógicos que a comunidade virtual de aprendizagem potencializa nos processos de ensinar e de aprender, em congruência com as tecnologias digitais virtuais. Assim, os estudantes estudarão os aspectos teóricos referentes a comunidade virtual de aprendizagem por meio da sua construção, no viver e conviver da leitura dirigida.

BIBLIOGRAFIA:

PALLOFF, R. M.; PRATT K. Definindo e redefinindo a comunidade. In: _______. Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço: estratégias eficientes para a sala de aula on-line. Porto Alegre: Artmed, 2002. pp.45-57.
SILVIO, J. Las comunidades virtuales como conductoras del aprendizaje permanente. In: _______. La virtualización de la universidad: ¿cómo transformar la educación superior con la tecnología? Caracas: IESALC/UNESCO, 2000. pp. 249-275.
SCHLEMMER, E. Dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem aos Espaços de Convivência Digital Virtual – ECODIS: o que se mantém? O que se modificou? In: VALENTI, C. B.; SACRAMENTO, E. M. (org.). Aprendizagem em ambientes virtuais [recurso eletrônico]: compartilhando ideias e construindo cenários. Caxias do Sul, RS: Educs. 2010. pp. 145-191
SCHLEMMER, E. Metodologias para educação a distância no contexto da formação de comunidades virtuais de aprendizagem. In: Barbosa, R.M. (Org.). Ambientes Virtuais de Aprendizagem. ARTMED, Porto Alegre, 2005. pp.29-49
PALLOFF, R. M.; PRATT K. Aprendizagem transformadora. In: _______. Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço: estratégias eficientes para a sala de aula on-line. Porto Alegre: Artmed, 2002. pp.159-174.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

VALENTI, C. B.; FAGUNDES, L. C. Comunidade de aprendizagem: a constituição de redes sociocognitivas e autopoiéticas em ambiente virtual. In: VALENTI, C. B.; SACRAMENTO, E. M. (org.). Aprendizagem em ambientes virtuais [recurso eletrônico]: compartilhando ideias e construindo cenários. Caxias do Sul, RS: Educs. 2010. pp. 33-44
SATO, L. S.; MAÇADA, D. L. Uma comunidade virtual em construção: Início de um encantamento. Disponível on-line:http://www.nied.unicamp.br/oea/mat/comunid_cibercidade_lec.pdf . Consultado em abril de 2012.
BACKES, L. ; MENEGOTTO, D. B. ; SCHLEMMER, E. ; CANDATEN, F. B. As relações dialéticas numa Comunidade Virtual de Aprendizagem. UNIrevista (UNISINOS. Online), v. 1, p. 1-12, 2006. Disponível on-linehttp://www.unirevista.unisinos.br/_pdf/UNIrev_Backes_et_al.pdf . Consultado em maio de 2012.

Leitura Dirigida: Como o tempo retorna para Michel Maffesoli?

EMENTA:

Os diálogos estabelecidos contribuirão para a reflexão sobre as tensões que cercam o individualismo e a perspectiva do comunitário, configuradas na espeiral que Michel Maffesoli atribui como “Pós Modernidade”. Os elementos para esta reflexão emergem do viver e conviver cotidiano dos seres humanos que “estão juntos” na construção de comunidades em congruência com o espaço (seja de natureza física e geograficamente localizada ou digital virtual). Neste sentido, o diálogo será um convite para a busca de novas maneiras de expressar a generosidade e a solidariedade para o reencantamento do mundo.

BIBLIOGRAFIA:

MAFFESOLI, M. O tempo retorno: Formas Elementares da Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CASALEGNO, F. Memória cotidiana: comunidades e comunicação na era das redes. Porto Alegre: Sulina, 2006.
LEMOS, A. Cibercultura, tecnología e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2007.
MAFFESOLI, M. O imaginário é uma realidade . In: Revista FAMECOS. n. 15 (ago. 2001). Porto Alegre: PUCRS, 2001. pp. 74 – 82,
_______. A comunicação sem fim (teoria pós-moderna da comunicação). In: Revista FAMECOS. n. 20 (abr. 2003). Porto Alegre: PUCRS, 2003. pp. 13 – 20
_______. Perspectivas tribais ou a mudança do paradigma social. In: Revista FAMECOS. n. 23 (abr. 2004). Porto Alegre: PUCRS, 2004. pp. 23 – 29
_______. Comunidade de destino. In: Horizontes Antropológicos. ano 12, n. 25 (jan./jun. 2006). Porto Alegre, 2006. pp. 273 – 283
_______. O Tempo das Tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2006.
_______. Tribalismo pos´moderno: da identidade às identificações. In: Revista Ciências Sociais UNISINOS. vol. 43, n.01 (jan. 2007). São Leopoldo: UNISINOS, 2007. pp. 97 – 102
_______. O ritmo da vida: variações sobre o imaginário pós-moderno. Rio de Janeiro: Ed. Record, 2007.
_______. O conhecimento comum: introdução à sociologia compreensiva. Porto Alegre: Editora Sulina, 2010.

 

Leitura Dirigida: A Construção do Conhecimento na Contemporaneidade: Processo de aprendizagem  

EMENTA:

Considerando a crise instaurada no paradigma dominante, vivenciamos a imersão de um novo paradigma, denominado por Santos (2004) de Paradigma Emergente, nos questionamos sobre quais teorias estão em construção no paradigma emergente. Portanto serão apresentadas diferentes concepções sobre aprendizagem que sustentam as pesquisas no atual cenário académico. Dessa forma será possível identificar as quatro teses do paradigma emergente, caracterisadas por Santos (2004), no contexto da pesquisa que sistematizam as novas teorías.

BIBLIOGRAFIA:

BACKES, L.; SCHLEMMER, E. O Processo de Aprendizagem em Metaverso: Formação para emancipação digital. Desenvolve – Revista de Gestão do Unilasalle, v. 3, p. 47-64, 2014. Disponível em: http://www.revistas.unilasalle.edu.br/index.php/desenvolve/article/view/1387

FONTOURA, H. A.; SILVA, M. (orgs.). Práticas Pedagógicas, Linguagem e Mídias: desafios à Pós-graduação em Educação em suas múltiplas dimensões. Rio de Janeiro: ANPEd Nacional, 2011. Disponível em: http://www.fe.ufrj.br/anpedinha2011/ebook1.pdf

JAPIASSU, H. Introdução ao pensamento epistemológico. Rio de Janeiro: F. Alves, 1992.

MATOS, S. R. da L. Forças vertiginosas da didática. Conjecturas, v. 14, n. 1, pp. 93-134, 2009. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conjectura/article/view/6/6

MATOS, S. R. da L. Expressão errante: um drama na alfabetização. Tese de Doutorado em Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, em co-tutela Université Lumière Lyon 2, Lyon, 2014.

MATURANA, H. R.; VARELA, F. J. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2002.

SANTOS, Edmea. O. WEBER, Aline. Educação e cibercultura: aprendizagem ubíqua no currículo da disciplina didática. Revista Dialogo Educacional (PUCPR), v. 13, p. 285-303, 2013. Disponível em: http://www2.pucpr.br/reol/index.php/dialogo?dd1=7646&dd99=view

SARMENTO, D. F. (Org.) ; RAPOPORT, A. (Org.) ; FOSSATTI, P. (Org.) . Psicologia e Educação: perspectivas teóricas e implicações educacionais. Canoas: Salles, 2008.

SCHLEMMER, Eliane . O trabalho do Professor e as Novas Tecnologias. In: Marcos Julio. (Org.). Sob a espada de Dâmocles: relação dos professores com a docência e ambiente de trabalho no ensino privado. 1ed.Porto Alegre: Carta Editora, 2013, v. , p. 98-115.

SCHLEMMER, E. ; MARSON, F. P. . Immersive Learning: Metaversos e Jogos Digitais na Educação. In: 8a Conferência Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação, 2013, Lisboa.

Sistemas e Tecnologias da Informação, 2013.

SCHLEMMER, E. Inovações? Tecnológicas? Na educação. In: Danie Ribeiro Silva Mill, Nara Maria Pimentel. (Org.). Educação a Distância: desafios comtemporâneos. 1ed.São Carlos: EDUFCar, 2010, v. 1, p. 71-90.

 

Disciplina: Redes sociais para interação/aprendizagem e registros de memória

EMENTA:

Ambientes Virtuais de Aprendizagem e Redes sociais: memória e cultura partilhada em rede. Construção coletiva de conhecimento e a Web. Formas de construção e registro de memórias na Web. Cibercultura: educação e cultura na era digital. Internet como ferramenta de acesso, seleção, pesquisa, construção e divulgação de informação. Aspectos do armazenamento de informação: Dados x Informações x Conhecimento, Banco de Dados, Bibliotecas Digitais, Ferramentas de Buscas, Integração entre Ferramentas.

BIBLIOGRAFIA:

ACIOLI, S. . Redes Sociais e Teoria Social: revendo os fundamentos do conceito. Informação & Informação, v. 12, p. 01-12, 2007. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/viewFile/1784/1520

BACKES, Luciana . Hibridismo Tecnológico Digital: configuração dos espaços digitais virtuais de convivência. In: III Colóquio Luso-Brasileiro de Educação a Distância e Elearning, 2013, Lisboa.

III Colóquio Luso-Brasileiro de Educação a Distância e Elearning. Lisboa: Editor Universidade

Aberta, 2013. v. 1. p. 1-18. Disponível em: http://lead.uab.pt/OCS/index.php/CLB/club/paper/view/31

BACKES, Luciana . Espaço de Convivência Digital Virtual (ECODI): O acoplamento estrutural no processo de interação. ETD. Educação Temática Digital, v. 15, p. 337-355, 2013. Disponível em: http://www.fae.unicamp.br/revista/index.php/etd/article/view/3966

BACKES, Luciana . A cultura emergente na convivência em MDV3D. Conjectura: Filosofia e Educação (UCS), v. 15, p. 99-117, 2010.

BACKES, Luciana ; SCHLEMMER, Eliane . Processo de Interação na Formação de Educadores para Construção do Mundo Virtual. Revista de Ciências Humanas (Frederico Westphalen. Impresso), v. 8, p. 29-50, 2007.

CASALEGNO, F. Memória cotidiana, comunidades e comunicação na era das redes. Porto Alegre: Sulina, 2006.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2003

CUCHE, D. A noção de cultura nas ciencias sociais. Bauru (SP): Verbum, 1999.

FALCI, C. H. R. . Memórias culturais em construção: novas formas de memória em ambientes online. Extraprensa (USP), v. 1, p. 256-266, 2010. Disponível em: http://www.usp.br/celacc/ojs/index.php/extraprensa/article/viewArticle/s-gt3-2

FALCI, Carlos Henrique Rezende . Poéticas da memória: invenção e descoberta no uso de metadados para a criação de memórias culturais em ambientes programáveis. ARS (São Paulo), v. 22, p. 155-166, 2013. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ars/article/view/80661

LEMOS, A. Cibercultura, tecnología e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2007.

LEVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed.34, 2010.

MATURANA, H. R.; VARELA, F. J. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athenas, 2001.

SANTOS, Edméa. O. Pesquisando com a mobilidade ubíqua em redes sociais da internet: um case com o Twitter. ComCiência (UNICAMP), v. 1, p. 1-8, 2012. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=74&id=932

SANTOS, Edméa. O. ; SILVA, Marco . Desenho didático para educação online. Em Aberto, v. 22, p. 105-120, 2009. Link para acesso: http://emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/view/1437/1172

SANTOS, Edméa. O. Weber, Aline ; ; SANTOS, R. . Caiu na rede é peixe: o currículo nas redes sociais da internet. Conhecimento & Diversidade, v. 8, p. 56-75, 2012.

SANTOS, Edméa. O. SANTOS, Rosemary. Cibercultura: redes educativas e práticas cotidianas. Pesquiseduca, v. 4, p. 1-183, 2012.Link para acesso: http://periodicos.unisantos.br/index.php/pesquiseduca/article/view/226

SCHLEMMER, Eliane ; BACKES, Luciana . Metaversos: Novos espaços para construção do conhecimento. Revista Diálogo Educacional (PUCPR. Impresso), v. 8, p. 519-532, 2008.

SCHLEMMER, Eliane ; LOPES, D. Q. . Redes Sociais Digitais, Socialidade e MDV3D: Uma perspectiva da tecnologia-conceito ecodi para a educação online. In: Patrícia Lupion Torres; Paulor Reck Wagner. (Org.). Redes Sociais e Educação: Desafios Contemporâneos. 1ed.Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012, v. 1, p. 1-15. Disponível em: http://pead.ucpel.tche.br/revistas/index.php/colabora/article/view/204

SCHLEMMER E. et al. (2007). « Espaço de convivência digital virtual na formação de professores: um estudo sobre as representações na interação » In Anais do 13o Congresso Internacional de Educação, no 1. Disponible sur Internet : http://www.abed.org.br/congresso2007/tc/552007112752PM.pdf (consulté le 12 novembre 2011).

SILVA, Marco . Cibercultura e educação: a comunicação na sala de aula presencial e online. Revista FAMECOS (Online), v. 37, p. 69-74, 2008.

PRIMO, Alex . O que há de social nas mídias sociais? Reflexões a partir da Teoria Ator-Rede. Contemporanea (UFBA. Online), v. 10, p. 618-641, 2012.

PRIMO, Alex . Enfoques e desfoques no estudo da interação mediada por computador. 404notf0und (UFBA), Salvador, v. 1, n.45, p. 1-15, 2005. Disponível em: http://www.facom.ufba.br/ciberpesquisa/404nOtF0und/404_45.htm

PRIMO, Alex . Interação mediada por computador: comunicação, cibercultura, cognição. Porto Alegre: Sulina, 2007.